quarta-feira, 19 de outubro de 2011

O chamado da Floresta


(link no titulo)

A floresta esta chamando! Quem se firma vai na frente e o caminho iluminando. O orgulho e a vaidade vamos ter que descartar. O chamado da floresta eh para todo mundo ouvir, mas so entra nesta festa quem o coracao seguir...

CURA DO BEIJA-FLOR


‎(link no titulo)

Coracao que vai se abrindo em mil petalas de flor, eu te sinto eu te recebo beija-flor...
Nas asas dessa pureza tem um brilho encantador, pode ver aquele que ja se entregou...
Vem surgindo um amigo num momento escolhido pelo mestre que retira o temor...
Um presente tao divino fruto de puro carinho, que revela os tesouros do amor...


VIDA

(link no titulo)

Algo...

(link no titulo)


Tem algo em mim que anseia...
...algo que espera e deseja.
Tem algo em mim que faz sorri...
...algo de paz e clareza.
Tem algo em mim que liberta...
...algo que eu nem sei porque.
Tem algo em mim que treme,
e corre sem temer.
Algo que transborda, que nao se controla...
...algo em mim que quer crescer.
Tem algo em mim que nao posso entender,
algo do alem, que se esconde tambem, e nao tem escola...
Tem algo que empurra, algo que controla,
algo que busca ao mesmo tempo que ignora...
Tem algo que nao se explica.
Algo que nao se implora...
Dentro de mim algo que adora.
Algo em mim que sabe,
algo em mim que quer entender...
Algo sem juiso, que nao quer demora.
Tem algo em mim que perde o sono,
algo em mim que ja nao tem como sair.
Algo que nao tem julgmento
nem medida,
algo que nao tem desespero...
Dentro de mim nao tem sofrimento,
o que vem de dentro quer sair,
e algo de fora que quer entrar,
pois vem do intento para dividir...
Dentro de mim so puro sentimento!
Tem algo em mim que so quer sentir.
Algo de tudo ou tudo de algo?
So sei do aqui...

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

PURA VIDA


FESTIVAL PURA VIDA - http://festivalpuravida.wordpress.com/
O Festival PURA VIDA é um encontro para celebrarmos e nos aprofundarmos em nossas relações com a Mente, Corpo, Espírito e Natureza. O objetivo é arrecadar fundos para a construção da Ecovila de Paraty e para o fortalecimento da Aldeia da Mata Atlântica em Aldeia Velha. O encontro não tem fins lucrativos, mas pedimos o valor de R$52 (antecipado) e R$70 (na hora) para ajudar na organização e realização do festival.
12 a 16 de outubro de 2011

PERGUNTAS sobre TRICKLINE e considerações quanto PROFISSIONAL de Educação Física (por Daniel OLHO)







1) Quais os benefícios da prática do slackline para o corpo?
O slackline é uma força elástica de resposta similar ao peso exercido pelo corpo quando jogada na fita, além de gerar equilíbrio físico e mental, gera;
fortalecimento muscular, condicionamento aeróbico e anaeróbico, ganho de flexibilidade, sustentação ligamentar.
A postura dessa atividade exige uma diversidade de grupamento muscular recrutados. Como se equilibrar em cima de uma fita gera um desequilíbrio para diversos planos e lados, exigindo assimetricamente de atividades dos músculos agonistas em contraposição dos antagonistas trabalhando-os em amplitudes de posturas e forças não localizadas .
Assim, refinado o equilíbrio mantendo-se no eixo da fita, um grupo de exercícios podem ser apresentados em didáticas de ensinos, apontando manobras de nível mais fácil até os mais complexos, seguindo um parâmetro de 4 fases de dificuldade;
estático; manobras em que esteja sempre com alguma parte do corpo colado a fita, exemplo: sentar na fita, deitar, posturas de yoga.
dinâmico; manobras em movimentos de balanço, as vezes toda parte do corpo sai da fita, exemplo: lemur leap= santar e voltar na fita, surfer= balançar lateralmente na fita.
atlético; manobras aéreas com quicares com outras partes do corpo além do pé, com saltos e giros, como: Buttbounce = quicar sentado, Chestbounce: quicar de peito.
acrobático; manobras aéreas com saltos de giro de mortais estilo olímpico como: mortal para frente, mortal para trás, mortal twist entre outros mortais.
Baseando nisso, avalia o praticante, e elabora uma periodização de repetições de grupos de manobras e exercício distintos.

2) Quais músculos é possível trabalhar com os exercícios?
100% dos membros inferiores, tronco e membros superiores. No inferior da perna temos o tibial, fibular longo e curto,
mais os músculos da panturrilha com maior ação de sustentação em equilíbrio, os músculos da coxa vem em segundo lugar com sustentação das forças de impacto.
Na parte inferior do tronco temos os músculos da lombar, abdominais e toráxicos, tambem com função de sustentação das forças de impacto.
E os membros superiores com sustentação do equilíbrio, onde desenvolve-se a partir da isometria direta.

3) Alguns movimentos básicos de trickline, com a altura máxima de 60 cm para a faixa e que podem ser executados em casa.
Quais exercícios você propoe para o praticante que está iniciando na modalidade?
No estático o iniciante pode executar manobras de agachamento e levantamento na fita; exemplo, dropknee, double dropknee, kiss the line.
No dinãmico o praticante pode executar manobras de mola, saltos e giros simples como; lemur leap, salto com giros: 180º, 360º.
No atlético o praticante pode executar manobras de quiques sentado, quiques de peito, giros e saltos longos como; Buttbounce, chestbounce, backbounce.
No olímpico o praticante pode executar saltos mortais, para frente para trás, mortais com giros de 180º,360º, 540º, 720º…

4) Quais as orientações passo a passo para a instalação das faixas de equilíbrio?
Primeiro deve escolher suportes fixos suficiente para não haver ação elástica extra,
árvores, postes, e estruturas fixas fortes suficiente para sustentar a força de tração do esticar.
Lembrando para não usarem árvores prematuras ou fracas suficiente para balançar sua estrutura, o slackologia faz parte da nossa vida.
Primeiro passo: Enrolar a fita da catraca na árvore e passa a catraca por dentro da ponta da fita, esticar a fita dobrando em forma de “V” para alinhar ela paralelamente ao chão,
repetir o mesmo com a fita de manobra, fazer um “V” para o plano da fita ficar paralelo ao chão e levar a ponta da fita até a catraca e passa ela por dentro do rolete,
puxa com força a fita que encaixou no rolete,segura firme, abra a trava da catraca e comece a catracar; movimento de puxar e voltar a alavanca fazendo com que a fita se enrole no rolete da catraca esticando a fita. Vide: http://www.youtube.com/watch?v=utZXcCJ9UtU

5) Onde comprar o kit?

No site www.gibbonslacklines.com.br
,vc pode comprar sua fita feita especialmente elástica para esse esporte, melhor qualidade e durabilidade (quando usada corretamente).
As mais elásticas são a jibline (preta) e a surferline (roxa).

6) Quais os cuidados necessários para a prática desse esporte?
SEMPRE lembrar-se de alongar antes, ativamente durante e depois do exercício, pois a ação do elástico é muito forte.
Direcione seu alongamento principalmente para a lombar onde sustenta a maior parte do impacto. Praticas saudáveis é resumo de uma vida ativa e equilibrada.

7) Ele é apropriado para alguma faixa etária específica?
Por estudo de campo posso dizer que é para todas as idades,
mas posso presumir a partir dos 5 anos, pode-se iniciar a pratica pois gera um desenvolvimento tônico bem relevante.

Há restrições?
Sim, pessoas com problemas crônico ligamentar, articular ou muscular, não é aconselhável apratica pela força exigida na fita,
mas posso afirmar que o slackline é um excelente material de condicionamento físico e fisioterapêutico, com suportes para se segurar,
pode-se executar balanços leves fortalecendo periodicamente todo grupamento muscular dos membros inferiores e abdominal.
Pode montar a fita alta para usar semelhante a barra de puxada de braços com a força elástica direta da fita.

Como pioneiro do trickline no Brasil, dedico quase que integralmente minha vida ao slackline e ao desenvolvimento dele como esporte no Brasil.

“Slackline é para todos”

Legal poder contribuir,
“tudo GIBBON pra vocês”

Daniel Olho

FLASH!

Um flash de claresa...
Alguns, as vezes ate frequentes,
como a memoria que falha inconsequente.

Sinto tao inexplicavelmente sem palavras...
Palavras ajudam quando esta "Escrito",
nao quando pensadas.

Interpretacoes...

Momentos diversos e descompromissados,
como sonhos profundos que embaralham no coracao,
que independe da mente e tambem da razao.

Tudo dentro de mim ferve!
As vezes vazio...
Mas quando se aprende,
tudo o que vem eh recebido com a atencao que cuida da semente.

Mergulho em sensacoes que me guiam,
e as vezes as coisas de dentro estao camufladas da influencia do externo...
mas somos muito mais que a unidade, somos alem das estrelas que brilham.

Uso e abuso e erro sem medo e sem freio!
Mas temo o desconhecido defeito,
o incompreensivel e timido receio...

E so no limite do alcance do nosso olhar,
podemos lembrar de abrir realmente os olhos, sem medo,
e aprender que nao ha nada que possa nos tirar da Direcao...
Eu creio...

domingo, 9 de outubro de 2011

WE ARE 99% por Bibi Stefania

By Bibi Stefania, something about Wall Street in her BLOG Bibi in NY >>> http://bibiinny.blogspot.com/2011/10/ocupacao-em-wall-street.html



domingo, 2 de outubro de 2011

WE ARE THE 99%

Ocupação em Wall Street

Uma manifestação reúne centenas de pessoas que ocupam uma praça em Wall Street, uma rua bem famosa e conhecida aqui em NY, rua paralela onde eram as torres gêmeas.
Acredito que nem todos devem saber desse protesto contra o capitalismo mundial. Nem mesmo eu, que estou vivendo aqui fui saber tempos depois, e por meio de amigos no Brasil. Ocupação que já ocorre desde o dia 17 de setembro, mas a mídia não divulga o assunto. A mesma que já ocorreu em outros países..
Eu e Rose fomos até lá conferir e registrar alguns momentos dessa manifestação que pelo que vimos, esse silêncio parece estar sendo quebrado por pessoas que se unem em um escritório montado em meio a praça, onde cada um divulga como pode, seja com reportagens ao vivo na internet, cartazes de iniciativa, arte urbana, fantasias, dança, música, assembléias, enfim, qualquer tipo de manifestação que expressam seus princípios sócio econômico políticos.
Pessoas se unem, cada um ajuda como pode, eu me escrevi no programa de divulgação na internet representando o Brasil.
Restaurantes doam comidas e água, um refeitório farto foi montado no meio da praça, um banquete de dar água na boca, e eu que estava faminta dei uma parada nos clicks e fui fazer uma boquinha com direito a garrafinha d'água e cookies de sobremesa!
Ao contrário disso o prefeito da cidade, um dos homens mais ricos dos EUA, insiste em reforçar o policiamento detento e machucando os manifestantes acampados, dizendo que não quer esse tipo de distúrbio na cidade. Com mais de 80 detidos, e um monte ferido.O mais incrível é a falta da mídia presente em um acontecimento desses, uma praça lotada de manifestante, aberta para qualquer um, bem no centro de NYC, unbelievable!!!
Foi emocionante participar e estar dentro de um protesto como esse, uma energia incrível, sorrisos puros e solidariedade reciproca.
Pude passar horas do meu dia, alone, feliz e contente em estar ali naquela energia toda, símbolos de paz e flores coloridas enfeitavam o ambiente, e em meio aos cliks, ria das placas de alguns manifestantes. Tinha um que andava com um cinto, a fivela era uma folha de maconha em strass verde, e segurava uma placa escrita: '' Help! I need money for week!'' todos queriam fotografar ele, mas ele virava a placa na hora da foto, insistindo a grana, figura!

Want to know more????
United National Antiwar Coalition (UNAC) www.UNACpeace.org
occupwallst.org
General Assembly-nycga.cc
Twitter - #OccupyWallst
DONATE- nycga.cc/donate

PEACE!!!!!
por Bibi- Stefania Aires

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

BRAIN WACH!!! Power abuse...

(link in the title)

Planet Capitan


Gaia, the spirit of the Earth, is awakened from a long sleep by human activity threatening ecosystems, taking place across the globe. Realizing that the damage is extensive, Gaia sends five magic rings, each with the power to control an element of nature and one controlling an extra element, heart, to five chosen youths across the globe: Kwame from Africa, Wheeler from North America, Linka from Soviet Union (changed to Eastern Europe after the Soviet Union's collapse), Gi from Asia and Ma-Ti from South America.
These five are dubbed the Planeteers and given the task of defending the Earth in the case of the greatest of disasters and making effort to keep others from happening. Gaia uses her "Planet Vision" to discover where the most devastating destruction is occurring and sends the Planeteers to help solve the problem. The Planeteers use transportation (usually a flying machine called a Geo-Cruiser) based on solar power to avoid causing pollution themselves.
In situations that the Planeteers cannot resolve alone, they can combine their powers to summon Captain Planet, a magical entity who possesses all of their powers magnified, symbolizing the premise that the combined efforts of a team are stronger than its individual parts. Captain Planet only appears in his Captain Planet garb. These are not clothes but elements of the Earth that are integral to his composition. He is able to rearrange his molecular structure to transform himself into the various powers and elements of nature. Captain Planet's outfit does not represent a specific culture.[citation needed] He has a grass-green proto-mullet, sky-blue skin, earthy brown eyes, a fire-red chest, gloves, and boots, and a sun-yellow globe insignia.
In a manner similar to the mid '50s-1986 incarnation of Superman, Planet has seemingly godlike superhuman powers, and seems to gain more proportionate to whatever the situation requires. Nevertheless, he is weakened by pollutants which sap his strength, from smog to nuclear radiation, in much the same manner that Superman is weakened by Kryptonite. Captain Planet's personality is also similar to that of the Silver Age version of Superman; Always remaining friendly and upbeat in the darkest of situations. Aswell as a dislike of killing even the cruelest bad guys and a strict sense of justice (such as when Captain Planet allowed himself to be jailed for a crime he did not commit).
The Planeteers cannot use their individual powers while Captain Planet has been summoned.[5] Despite his vulnerability to pollution, Captain Planet is a formidable and valiant hero. Once his work is done, Captain Planet returns to the Earth, restoring the Planeteers' powers. When he does this, Captain Planet reminds viewers of the message of the series with his catchphrase, "The power is yours!"

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

MAGIC

The magic is in my heart & mind!
Magic is to love and to belive...

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Love | Amor

Love is the importance of to listen the silences and to understand their meanings; but mainly to go beyond, to detach of the ordinary understanding and to reach the acceptance of the signs for since then building a new reality.
The silence of the smiles doesn't offer explanation, they just lead to the evolution.
In the cultivation of the wisdom that contemplates the Whole and it leads to the understanding holistic....

Love is to channel the will for not harming the evolution of the other.
After all, the power of the Whole brings with himself responsibilities of the individual potencies.
In the detachment and delivery for the Love to bloom in maintainable way without being hostage of ego some...

When I think about you, I feel a flow of Light and happiness - I surrender and I flow together. In the detachment that connects us, last freedom, eternal home!

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Amor é a importância de se escutar os silêncios e compreender seus significados; mas principalmente ir além, desapegar da compreensão ordinária e alcançar a aceitação dos sinais para a partir daí construir uma nova realidade.
O silêncio dos sorrisos não oferecem explicação, apenas conduzem à evolução.
No cultivo da sabedoria que contempla o Todo e conduz à compreensão holística...
Amor é canalizar a vontade para não prejudicar a evolução do outro.
Afinal, o poder do Todo traz consigo responsabilidades das potências individuais.
No desapego e entrega para que o Amor floresça de maneira sustentável sem ser refém de ego algum...
Quando penso em você, sinto um fluxo de Luz e felicidade - me entrego e fluo junto. No desapego que nos conecta, liberdade última, morada eterna!

Well...

BLOG DO ZE > BLOG DA TATI

SEXTA-FEIRA, 6 DE MAIO DE 2011

Eu sabia!

Você já teve vontade de dizer, ou já disse: "Eu sabia!"? Hoje eu vi uma matéria na internet dizendo que o "Memórias póstumas de Brás Cubas", de Machado de Assis, é um dos cinco livros prediletos de Woody Allen. No final do ano passado eu postei sobre os dois autores com um intervalo de apenas dois meses. Não fiz relação nenhuma entre eles na minha cabeça nem nos textos, mas pensando bem agora, faz todo sentido, não faz? Woody Allen e Machado de Assis... Eu ousaria dizer que o segundo é ainda mais atemporal, mas uma resposta para isto talvez só esteja clara daqui a cem anos. Isto me faz lembrar que nunca tivemos um autor brasileiro vencedor do Nobel de literatura. Aliás, acho que brasileiro nenhum jamais ganhou Nobel em nenhuma área. Não por não merecer; já ouvi um comentário de que isto nunca aconteceu devido a nossos autores escreverem em língua portuguesa. Ou seja, se tivessem sido escritas em inglês, por exemplo, haveria grandes chances de nossas obras terem angariado este prêmio. Por outro lado, José Saramago ganhou o prêmio recentemente. Mas como traduzir Guimarães Rosa, por exemplo? Como entender Guimarães Rosa sem ser brasileiro, sem conhecer os meandros de nossa cultura, tradições, idiossincrasias? Impossível. Teremos que nos contentar com nosso próprio julgamento, e não aguardar o dos outros. Aliás, tarefa deveras saudável! Falta fé ainda em nossa própria crítica. Para poder dizer em alto e bom som que a música brasileira é a melhor do mundo! Que os melhores discos da Sarah Vaughan foram aqueles dedicados à música brasileira. Que Machado de Assis foi um dos maiores escritores da história, não só brasileira, mas mundial. Que a gastronomia brasileira é das melhores. Que o povo é bonito. Que somos campeões no futebol, no tênis, na natação e até no narcotráfico.
Brasil-sil-sil!

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

SERES DE LUZ

SHOW DE ESTRELAS

"Era uma chuva, era um show de estrelas
Chovia estrelas a granel
Eram milhares de estrelas, uma chuva delas
Caindo lá no chão do céu
E diante da visão do firmamento
Um pensamento vem ao coração
De que cada um de nós não é senão uma estrela
A brilhar no céu do chão
Todos nós
A brilhar
Somos como luas e sóis
A girar
E a chuva não cessava a sucessão
De pingos lá no chão do céu
Era uma chuva de granizo de estrela em grãos
Chovia estrelas a granel
E diante da visão do firmamento
Na mente um sentimento se produz
De que cada um de nós não é senão uma estrela
Cada um, um ser de LUZ"

(Marcelo Jeneci e Carlos Renno)


terça-feira, 6 de setembro de 2011

AMOR X IDIOTAS

Tem gente que esta aberto para o amor, mas a maioria so tem interesse no amor dos outros...porque nao se ama!

...por isso so o tempo nos ensina a distinguir quem eh quem! E eh uma PENA que muitos nao conhecem o VERDADEIRO AMOR e nao dao o VALOR e o RESPEITO para MERECEREM isso...uma pena! Uma pena que nao saibam receber carinho e por isso nao sabem dar.

Mas as mascaras caem, e as coisas mudam.

POREM quem conhece esse amor, AMA! E como eu, espero que outros AMANTES deste mundo, nao se deixem abalar pelas PEDRAS no caminho...

...pois o nosso amor eh NOSSO! Ninguem nos tira! Por mais que suguem, suguem e suguem! O nosso amor eh infinito e se pudermos TOCAR pelo menos 1 pessoa com ele, se pudermos ingnorar as IDIOTICES do ser humano e continuarmos firmes e fortes, inabalaveis, ja sera recompensador.

LAMENTO pelos IDITOTAS...mas saibam que nunca eh tarde para conhecer o AMOR dentro de voce.

sábado, 3 de setembro de 2011

Corpo & Mente


(Foto by Andre Luiz Pires)

Podem acorrentar meu corpo, mas nunca poderao jamais acorrentar a minha mente!
Meu espirito é livre assim como minhas ideias ... e sera para sempre!

Por igual...

‎"Por viver muitos anos dentro do mato
moda ave
O menino pegou um olhar de pássaro —
Contraiu visão fontana.
Por forma que ele enxergava as coisas
por igual
como os pássaros enxergam.
As coisas todas inominadas.
Água não era ainda a palavra água.
Pedra não era ainda a palavra pedra.
E tal.
As palavras eram livres de gramáticas e
podiam ficar em qualquer posição.
Por forma que o menino podia inaugurar.
Podia dar às pedras costumes de flor."
(Manoel de Barros - parte do poema CANÇÃO DE VER)

WATER

Beba água com estômago vazio.
Hoje é muito popular, no Japão, beber água imediatamente ao acordar. Além disso, a evidência científica tem demonstrado estes valores. Abaixo divulgamos uma descrição da utilização da água para os nossos leitores.

Para doenças antigas e modernas, este tratamento com água tem sido muito bem sucedido....
Para a sociedade médica japonesa, uma cura de até 100% para as seguintes doenças:
Dores de cabeça, dores no corpo, problemas cardíacos, artrite, taquicardia, epilepsia, excesso de gordura, bronquite, asma, tuberculose, meningite, problemas do aparelho urinário e doenças renais, vômitos, gastrite, diarreia, diabetes, hemorroidas, todas as doenças oculares, obstipação, útero, câncer e distúrbios menstruais, doenças de ouvido, nariz e garganta.

Método de tratamento:
1. De manhã e antes de escovar os dentes, beber 2 copos de água.
2. Escovar os dentes, mas não comer ou beber nada durante 15 minutos.
3. Após 15 minutos, você pode comer e beber normalmente.
4. Depois do lanche, almoço e jantar não se deve comer ou beber nada durante 2 horas.
5. Pessoas idosas ou doentes que não podem beber 2 copos de água, no início podem começar por tomar um copo de água e aumentar gradualmente.
6. O método de tratamento cura os doentes e permite aos outros desfrutar de uma vida mais saudável.

A lista que se segue apresenta o número de dias de tratamento que requer a cura das principais doenças:
1. Pressão Alta - 30 dias
2. Gastrite - 10 dias
3. Diabetes - 30 dias
4. Obstipação - 10 dias
5. Câncer - 180 dias
6. Tuberculose - 90 dias
7. Os doentes com artrite devem continuar o tratamento por apenas 3 dias na primeira semana e, desde a segunda semana, diariamente.

Este método de tratamento não tem efeitos secundários. No entanto, no início do tratamento terá de urinar frequentemente.
É melhor continuarmos o tratamento mesmo depois da cura, porque este procedimento funciona como uma rotina nas nossas vidas. Beber água é saudável e dá energia.

Isto faz sentido: o chinês e o japonês bebem líquido quente com as refeições, e não água fria.
Talvez tenha chegado o momento de mudar seus hábitos de água fria para água quente, enquanto se come. Nada a perder, tudo a ganhar!

Para quem gosta de beber água fria.
Beber um copo de água fria ou uma bebida fria após a refeição solidifica o alimento gorduroso que você acabou de comer. Isso retarda a digestão.

Uma vez que essa 'mistura' reage com o ácido digestivo, ela reparte-se e é absorvida mais rapidamente do que o alimento sólido para o trato gastrointestinal. Isto retarda a digestão, fazendo acumular gordura em nosso organismo e danifica o intestino.
É melhor tomar água morna, ou se tiver dificuldade, pelo menos água natural.

Nota muito grave - perigoso para o coração:
As mulheres devem saber que nem todos os sintomas de ataques cardíacos vão ser uma dor no braço esquerdo.
Esteja atento para uma intensa dor na linha da mandíbula. Você pode nunca ter primeiro uma dor no peito durante um ataque cardíaco.
Náuseas e suores intensos são sintomas muito comuns.
60% das pessoas têm ataques cardíacos enquanto dormem e não conseguem despertar. Uma dor no maxilar pode despertar de um sono profundo...
Sejamos cuidadosos e vigilantes.
Quanto mais se sabe, maior chance de sobrevivência...
Um cardiologista diz que se todos que receberem esta mensagem, a enviarem a pelo menos uma das pessoas que conhecem, pode ter a certeza de que, pelo menos, poderá salvar uma vida.
Ser um verdadeiro amigo é enviar este artigo para todos os seus amigos e conhecidos.

Acabei de fazer isso! Rs

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Pra Não Dizer Que Eu Não Falei do Ódio

... pra não dizer q não falei do ódio, digo q isso num me faz bem, então eu exclui do que minha alma contem, ainda sinto nojo, sinto pena e raiva de alguem, mas sei q meu jeito, meu mal, meu defeito fazem com que alguem sinta isso por mim também...

... hoje eu só quero sorrir, meu coração blindado limita as palavras que podem atingir, então fala ai babaca ataca quem luta por ti, minha alma pulveriza a faca de quem tenta me ferir...

... cada um escuta a voz de deus de um jeito, então se tu quer me mudar pra que eu faça direito, então faça você, já que tu és tão perfeito...

... coleciono parceiros na caminhada, inimigos não coleciono, não me relaciono, não me emociono, por eles não sinto nada, digo obrigado ao meu senhor, por ser quem sou, por conhecer quem conheci, por ter amado quem me amou, por ter vivido o que vivi, e sim... obrigado senhor, por ter mais gente por mim, do que contra mim, ninguém pagou minhas contas, ninguém enxugou minhas lágrimas, ninguém viveu minha vida, ninguém escreveu minhas páginas...

... agrado alguns, naturalmente outros vão detestar, mas eu faço por mim, errado é se eu mudar pra te agradar...

... e pra não dizer que eu não falei do ódio, digo: "pra que falar?", falar sobre o demônio e igual um convite pra ele entrar, já vi espíritos por mais que ninguém acredite é o meu palpite, é que entre os vivos existe muito mais maldade por isso é preciso que evite, politicagem demais, promessas de um mundo melhor, mal ensina escrever e dizer que é o bastante saber tabuada de cor, limitaram o menor, seja assim pro menino virar doutor, mas foi o bastante pra ele ir pra rua na febre do rato de fato tocando terror...

‎... mundo louco que leva meus manos, vou sumindo ao longo dos anos, de onde viemos, pra onde vamos, todos pecamos, porque nos julgamos? então, só quero mesmo um bom role com os meus parceiros pra ver que na vida da gente, a gente precisa buscar bem mais que dinheiro, talvez um dia a gente aprenda a dar mais valor por quem nos traz paz e menos valor pro que traz renda, vai lá pra sua fazenda com as suas cabeças de gado, na sua mercedes prata com a sua modelo do lado, pula na piscina com a sua mina aconchegado, agora acorda tá na hora de descer do seu buzão lotado, meninos virgens de sofrimento na vida, vão peidar quando o bicho pegar...

‎... força e coragem pra minha família de sangue e de rua, da luz da lâmpada, também da luz da lua, pra quem se identifica mostrar pros amigos e pode dizer que essa é sua, falou? Já tive ódio demais, hoje eu só busco amor.

Projota - Pra não dizer que não falei do ódio

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Duvidas

"O que precisamos fazer para permitir que a magia tome conta de nos é banir a duvida de nossas mentes - Uma vez que as duvidas sao banidas, tudo e possivel." Dom Juan

terça-feira, 9 de agosto de 2011

...

Photo by André Luiz Pires

segunda-feira, 25 de julho de 2011

BLOOD!!!


FOTOS BY ANDRÉ LUIZ PIRES http://www.andreluizpires.com/

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Aprendendo

Todo dia aprendo com meus próprios sentimentos/pensamentos e atos...e não é fácil saber lidar com eles...mas estou aprendendo! Aprendendo a não me render às fraquezas que existem dentro de mim...aprendendo a lidar com a ansiedade, as inseguranças e medos. Aprendendo a parar de pensar quando pensar só atrapalha...aprendendo a deixar fluir...a aproveitar o AGORA sem olhar nem pra trás, nem pra frente, com expectativas que acabarão por se transformar em frustração...aprendendo a ser cada dia mais responsável pelas minhas escolhas!!!

Vivendo a paz interior...sendo observadora, para aprender mais e mais sobre o meu EU...mesmo que por vezes eu vá chorar e refletir sobre mim mesma com confusão...mesmo que em certos momentos eu sinta que a incompreensão de certas coisas sejam mais fortes dentro de mim e eu precise lutar com mais força para voltar ao meu estado de yoga.

Afinal tem coisas que simplesmente não vams entender nunca. Então não vale a pena gastar nossa energia com isso...mas sim com a busca da aceitação e da melhor reação, sempre.

sábado, 2 de julho de 2011

Inside Revolution

I hope that I can live in this world with my peace, listening my heart and acting as I belive is the better way, being happy, making my part and learning every day with my experiences and my relations, and the same way, I hope I can use my courage, my mind, my words and actions to "figth", to try put togetter the positive souls, the lovers, the dreamers to make our reality with more justice and dignified, with more supply, more trade, more equality and mutual respect. I HOPE to live lightly and strong!

I wish to clearly know the difference between things of value and importance ... knowing when to act is helpful and when is ignorance ... I wish I could change what is within my reach with my love and energy, and accept with faith and tranquility that only time and intent may be responsible ...

I want to live my life in peace with my conscience, without going over anything or anyone, without violence or malfeasance, without removing the other to get to me, without forgetting that we are all one, all brothers, all part of nature and therefore not want any personal achievementor ideology can be a reason or justification for such acts...

I want LOVE, RESPECT, POSITIVITY, PEACE, TOLERANCE, COMPASSION, JUSTICE, HUMILITY and UNION!

WE ALL WANT HAPPINESS!!!

And we all need HOPE and FAITH.

One friend said other day: "Verbal conflicts are a wast of words". And I belive really is, almost all the time. But I want belive that we can use this words to try to share good thinkings and fellings, and I hope that someone can be touched, reflect and make good use of words with good intentions.

Sometimes I think about my spiritual side, and I reflect about accepting everything the way it is ... believing that things happen as they should...

but at the same time I believe that we have to be what we are naturally, but always within us seeking self-knowledge and with it naturally seek to be better people, contributing to a common good, where everyone, including ourselves are included.

In our time in this world we see with the eyes only, because just few can actually SEE beyond the vision, we realize that most people lost their real natural in front of so many external influences, stimuli, oppression, authoritarianism, traumas, weaknesses and fears. Therefore, I believe the spiritual quest is more necessary. The search for ourselves from such chaos. The search for the purest essence, with bare feet, for remembering our

origin and the real reason for our existence.

Realizing that there is no reason to justify the wars and injustices that we see watching over the history of mankind. Unless vanity,fear, illusion and desire blinded by false power.

Love is hope. And the path/way will always be peace.

Respect - Respeito

I just want the best of things ... I want the partnership even in times of weakness, even in the difficulties of selfishness and vanity. I want to talk ... light ...always try to understand with the heart and mind. And when I do not understand, I want to shut up and deal, without requiring ... not even hesitating when to stop the useless thoughts. I want the best of attitudes, because only the words themselves do not bring results. Respect can not be ignored at any time, because once you miss the point, it seems that everything is corrupt somehow irreversible. As if things that were gross and relevant normal and might become insignificant. And over time, they become rans. The acts become defensive and communication extremely complicated. Having 99% is not enough because 1% is missing seems to weigh more. Then look back to and see that at some point lacked respect, and was ignored. Or disrespect becomes "normal", and so people come to live with it without questioning it.

Because of this, I want to be right. I do not want to disrespect anyone, so I'll be always careful. I do not want to be disrespected, so I try to be prepared so that when this happens I can filter and see what makes me sick, and if I can not handle, so I can choose the best course of action based on this. The way of my well being.

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Eu só quero o melhor das coisas...eu quero a parceria mesmo nas horas de fraqueza, até nas dificuldades do egoísmo e da vaidade. Quero poder conversar...leve...tentar entender sempre...com o coração e com a mente. E quando eu não entender, quero poder calar e saber lidar, sem exigir nem exitar...nem parar no tempo dos pensamentos inúteis. Eu quero o melhor das atitudes, porque só as palavras não trazem resultados sozinhas. O respeito não pode ser ignorado em nenhum momento, pois uma vez que se falte o respeito, parece que tudo se corrompe de alguma forma irreversível. Como se as coisas que antes eram grosseiras e relevantes pudessem se tornar normais e insignificantes. E com o tempo, elas se transformam em ransos. Os atos se tornam defensivos e a comunicação extremamente complicada. Ter 99% já não é suficiente porque 1% que falta parece pesar mais. Então olhamos para tráz e vemos que em algum momento faltou respeito, e isso foi ignorado. Ou o desrespeito vira "normal", e assim as pessoas passam a conviver com ele sem questioná-lo.

Por causa disso, eu quero estar bem. Não quero desrespeitar ninguém, por isso ficarei sempre atenta. Eu não quero ser desrespeitada, por isso eu tentarei estar preparada para que quando isto acontecer eu possa filtrar e observar o que me faz mal, e se eu não sei lidar, então eu posso escolher o melhor caminho a seguir baseada nisto. O caminho do meu bem estar.


domingo, 29 de maio de 2011

A VIDA NOS BOSQUES

Com certeza minha próxima leitura:

Walden é um livro escrito por Henry David Thoreau, escritor estadunidense. No livro, o autor relata dois anos de solidão vividos nas proximidades do lago Walden, na zona rural da cidade de Concord. Durante esse período, Thoreau não foi propriamente um ermitão, visto que frequentava sua aldeia e também recebia muitas visitas.

Publicado em 1854, Walden é um manifesto poético contra a civilização industrial que ganhou força nos Estados Unidos do século XIX. Diante da maior complexidade da vida social estadunidense derivada do crescimento da industrialização e urbanização, Thoreau propõe o retorno ao simples.

“Walden” é uma proposta prática sobre as possibilidades de uma vida simples. Thoreau retira-se para a floresta, onde constrói sua própria casa e móveis e vive com o mínimo necessário à sobrevivência – sem luxos e em contato intenso com a natureza. Ao mesmo tempo que prova em termos financeiros que uma vida simples é viável, propõe uma nova visão de homem quase mística: em contato com a natureza e com os livros.

sábado, 28 de maio de 2011

STOP COMSUME!!!


(link no título)

SURPLUS - Terrorized Into Being Consumers (Suécia, 2003)
Direção: Erik Gandini
Duração: 120 minutos

Uma odisseia visual intensa filmada ao longo de três anos em oito países. Desde os confrontos explosivos das manifestações em Génova, 2001, as bonecas para uso sexual de 7000 dólares, Surplus explora a natureza destrutiva da cultura consumista. Sobre um pano de fundo onde coabitam os líderes mundiais mais cínicos e lideres do pessoal das grandes empresas e fanáticos da Microsoft, o filme foca-se no controverso guru da anti-globalização, John Zerzan, cujo apelo à provocação de danos sobre a propriedade inspirou muita gente à intervenção directa nas ruas. Uma montagem impressionante numa série de imagens de cortar a respiração transforma a noção estatística, segundo a qual 20% da população mundial absorve 80% dos recursos globais, numa intensa experiência emocional.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

SE MATA

(link no título)

Capitalismo e Suicídio: a outra face da flexibilização

"As relações capitalistas no mundo do trabalho não envolvem somente uma racionalidade necessária à divisão, organização e gestão do tempo, espaço, das tarefas e das habilidades humanas a serem desempenhadas para produzir, distribuir, vender bens e serviços. Elas implicam a vida emocional dos indivíduos; suas relações pessoais e os vínculos com a comunidade e com grupos sociais mais amplos.

O velho Marx a partir do conceito de alienação já denunciara o quanto o trabalho na sociedade capitalista era agressivo e empobrecedor da vida emocional dos trabalhadores. Em condições sociais capitalistas, o trabalho, a venda da força do trabalho como mercadoria, significava para o trabalhador a mortificação do seu corpo e a ruína do seu espírito, pois nele não encontrava outra finalidade que não a de garantir sua mera sobrevivência. A reprodução de sua vida e energias não difere essencialmente da reprodução e manutenção de outro instrumento produtivo qualquer útil à produção. Numa belíssima passagem de O Capital, afirma Marx: “O que o trabalhador produz para si mesmo não é a seda que tece, nem o ouro que extrai da mina, nem o palácio que constrói. O que produz para si mesmo é o salário; e a seda, o ouro e o palácio reduzem-se para ele a uma determinada quantidade de meios de vida, talvez a um casaco de algodão, umas moedas de cobre e um quarto num porão”.

Há muito, ao menos na maior parte do mundo, as condições de 12 e 16 horas de trabalho da época de Marx foram deixadas pra trás. O capitalismo mudou. As formas de gestão do trabalho também. E, com isso, o problema passa a ser outro. Não mais a redução ou o atrofiamento das qualidades e potencialidades especificamente humanas pelo trabalho em condições capitalistas, mas o excesso de engajamento prático e pessoal que o capitalismo passa a exigir de nós. Exigência que na verdade é apropriação de regiões cada vez maiores de “nosso tempo livre”, de nossa inteligência e capacidades de aprendizado e de relacionamento. No que pese as mudanças, entretanto, o impacto avassalador das relações de trabalho – e de sua organização – na vida emocional das pessoas persiste. Dessa vez de uma maneira mais sutil na aparência, paulatina e disfarçada de liberação das antigas amarras e obstáculos ao exercício da criatividade e da expressão da individualidade; liberação da hierarquia, da rigidez da burocracia, dos males da rotina, do trabalho repetitivo e monótono e da especialização estreita.

Aos trabalhadores pede-se que encarnem em sua atividade todo o seu potencial criativo, todas as suas forças, competências e traços de sua inteligência e personalidade que lhes possam auxiliar em sua nova missão com o intuito de que sejam mais produtivos e úteis à empresa capitalista contemporânea. Para tal, cada trabalhador deve estar o mais aberto possível a mudanças em curto prazo, deve com destemor assumir riscos continuamente e se desprender de leis e procedimentos for­mais quanto ao desempenho de sua atividade. Ele deve enfatizar em seu trabalho uma renovação constante de conhecimentos sob a forma de cursos de “atualização” e “capacitação”. Deve abraçar todas as exigências de flexibilização, não importa se ela é de tempo, de local, de função ou mesmo de trabalho. Acaso não é esse o receituário para o sucesso e êxito profissional que tanto ouvimos de gurus do emprego e marketing pessoal, como o do apresentado no programa Fantástico?

O problema é que a celebração da flexibilização realizada por determinados segmentos da sociedade atual esconde, ou melhor, jogar pra debaixo do tapete, a sua outra face. Há o outro lado da moeda do qual muito pouco se fala. Ao fim e ao cabo, o que devemos perguntar é: a que preço, em termos emocionais, psicológicos e sociais, as pessoas tem obtido, ou tentado, sua adaptação mais ou menos exitosa a esse novo mundo da flexibilização das relações de trabalho? Um dos sintomas concretos a propósito do alto preço que estamos pagando é o aumento drástico do número de suicídios no local do trabalho. Para se ter uma ideia, na China há redes no topo dos edifícios e nas janelas dos andares para se evitar que trabalhadores se arremessem chão abaixo. Outro exemplo é o dado macabro da empresa francesa France Telecom que, entre 2008 e 2009, contabilizou o suicídio de mais de 35 trabalhadores.

Na última terça-feira, um trabalhador de 57 anos da mesma empresa francesa imolou-se voluntariamente pelo fogo no parque de estacionamento da corporação! Ora, o suicídio no local de trabalho não é uma ocasionalidade, uma particularidade sem maior significado. Bem sabemos, como nos mostrou o sociólogo Emile Durkheim com respeito ao suicídio que este muitas vezes é mais do que simplesmente o agregado de atos individuais, ou fruto de uma situação individual particular. O suicídio, como fato social, carrega propriedades padronizadas e passivas de identificação e explicação causal. Nesse sentido, tirar a vida no local de trabalho é ao mesmo tempo uma ação proposital e carregada de conotação – uma mensagem brutal para a sociedade, como um grito – e também uma ação atravessada por padrões sociais objetivos. Como apontam diversos estudiosos do fenômeno, as ondas de suicídios no local de trabalho estão diretamente ligadas à reestruturação profunda das formas de organização laboral do capitalismo flexível; expressa nas novas técnicas e metodologias de avaliação – individual, sobretudo, – do desempenho, da “qualidade total”, outsourcing. Estas funcionam como critérios decisivos para a obtenção de prêmios, promoções assim como para a própria manutenção do emprego.

O imperativo da concorrência não se limita mais a concorrência entre empresas ou sucursais diferentes. Ele penetra no próprio seio do local de trabalho, produzindo uma concorrência interna entre colegas de trabalho e serviços, de sorte que o êxito de um constitui uma ameaça para quem trabalha ao seu lado. O nervosismo e a tensão tornam-se a tônica do ambiente de trabalho. Como conseqüência das transformações da gestão e avaliação do trabalho, os boatos, a retenção e a distorção das informações, inimizades, cinismo e falsidade passam cada vez mais a caracterizar o cotidiano do trabalho. Com isso, os vínculos e os laços sociais de solidariedade se fragilizam, são minados.

Forma-se, assim, um ambiente extremamente propício ao mal-estar, ao sofrimento, ao isolamento e ao desenvolvimento de doenças ligadas ao trabalho. Ao arrasar as antigas formas rígidas da burocracia e desmantelar o aparato estatal de proteção do bem-estar social, o capitalismo flexível dos dias atuais, assim diagnóstica o sociólogo Richard Sennett, enfraqueceu algumas das pré-condições essenciais para a formação do caráter pessoal, isto é, daqueles traços pessoais a que damos valor em nós mesmos, e pelos quais buscamos que os outros nos valorizem. Essas pré-condições para a construção de um caráter minimamente consistente pressupõem um contexto que brindem as pessoas com segurança e confiança para a definição e busca de metas e ideais à longo prazo. Desse contexto é que resultam certas qualidades como a lealdade, o compromisso mútuo, a solidariedade de grupo, qualidades capazes de criar os laços entre as pessoas e lhes conferir uma identidade e um projeto de vida sustentáveis.

A flexibilização capitalista atual, com sua aversão ao longo prazo, corrói essas bases, tão vitais, segundo Sennett, para construção de uma narrativa coerente acerca de quem somos e de nosso lugar no mundo. Ela tem, portanto, um altíssimo custo psíquico em termos de sofrimento emocional e social para os indivíduos. Em vez de um ambiente de confiança e segurança, o trabalho se torna um ambiente de pura incerteza, instabilidade e desespero no qual somente a competição, a agilidade e a plasticidade tem lugar como medidas do sucesso. Os trabalhadores se vêem, dessa forma, constantemente acuados, em estado de permanente ansiedade e deriva, como que estivessem dentro de um carro desgovernado. Pressionados pelo estresse, impacientes por ganhar e ascender profissionalmente a todo custo, os trabalhadores não tem tempo nem espaço necessários para construir uma identidade com a qual possam com paciência e esmero dedicar-se como ideal de vida. Para os trabalhadores, a flexibilização significa a generalização de uma incapacidade de representar e projetar o futuro em bases relativamente estáveis.

Numa estrutura de total hostilidade à construção da vida e à criação de laços sociais profundos, o que esperar senão a forçosa e conseqüente reprodução de mal-estar, sofrimento e de reações de defesa, como o surto psicótico, o massacre e o suicídio? Pois, não nos enganemos, nessas circunstâncias, o suicídio é, com efeito, uma reação de defesa. Contra o esquema do curto prazo e da flexibilização que lhes toma por completo o tempo presente e futuro, as emoções e a criatividade, de que armas dispõem os trabalhadores para lidar com a pressão, as expectativas, as frustrações e todo o sofrimento ocasionado por um tipo de trabalho com tão grandes e intensas exigências? Que reações esperar em face de uma estrutura competitiva que predispõe milhares de pessoas ao desamparo e ao fracasso ainda que elas estejam empregadas em trabalhos valorizados e bem remunerados?

A conclusão não pode ser outra: o suicídio nessas condições é uma reação de defesa que busca, com efeito, a libertação das condições de vida responsáveis pelo sofrimento e mal-estar, no caso, em particular, as condições de trabalho marcados pela ênfase no curto prazo e na flexibilização. Ele é último ato voluntário de uma vida emocional totalmente esgotada, sugada e deformada. Uma última e desesperada reação somática frente aos desacertos e pressões inerentes à forma de vida capitalista contemporânea com os quais estes indivíduos tiveram de viver dolorosamente e desamparadamente. A flexibilização do trabalho pode até ter substituído a burocracia, mas em seu lugar ela criou uma tanatocracia de suicidas."

Alyson Freire - Graduado em Sociologia e membro do conselho Editorial da Carta Potiguar.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

sábado, 16 de abril de 2011

Amor e meditação

" Amor significa a arte de estar com os outros. Meditação significa a arte de estar consigo mesmo. São dois aspectos da mesma moeda. Uma pessoa que não sabe como estar com ela mesma verdadeiramente não pode relacionar-se com os outros. O relacionamento dela será inconveniente, sem graça, feio, fortuito e acidental. Num momento tudo está indo bem e noutro momento tudo se foi. Ele estará sempre indo para cima e para baixo; nunca ganhará profundidade. Será muito ruidoso. Certamente ele lhe dará uma ocupação, mas não terá nenhuma melodia nele, nem lhe alçará até as alturas da existência ou até as profundezas do ser. E vice-versa: a pessoa que não é capaz de estar com os outros, de relacionar-se, achará muito difícil relacionar-se consigo mesma, porque a arte de relacionar-se é a mesma. Seja relacionar-se com os outros ou consigo mesmo, não faz muita diferença: é a mesma arte.

Essas artes têm que ser aprendidas juntas, simultaneamente; elas são inseparáveis. Esteja com as pessoas, não inconscientemente, mas bem conscientemente. Relacione-se com as pessoas como se você estivesse cantando uma canção, como se você estivesse tocando numa flauta; cada pessoa precisa ser pensada como um instrumento musical. Respeite-as, ame-as e adore-as, porque cada pessoa é uma face oculta do divino.

Portanto seja bem cuidadoso, bem atento. Lembre-se do que você está dizendo; lembre-se do que você está fazendo. Pequenas coisas bastam para destruir relacionamentos, e pequenas coisas tornam relacionamentos tão belos. Às vezes basta um sorriso, e o coração do outro se abre para você; às vezes basta um olhar errado em seus olhos, e o outro se fecha - é um fenômeno delicado. Pense nisso como uma arte: assim como o pintor é muito vigilante do que ele está fazendo na tela, cada simples traço irá fazer muita diferença. Um pintor verdadeiro pode mudar toda a pintura apenas com um simples traço.

A vida tem que ser aprendida como uma arte: muito cuidadosamente, bem deliberadamente. Assim, o relacionamento com os outros precisa se tornar um espelho: veja o que você está fazendo, como você está fazendo isso e o que está acontecendo. Que está acontecendo ao outro? Você está tornando a vida dele mais miserável? Você está provocando sofrimento nele? Você está criando um inferno para ele? Então retire-se. Mude suas maneiras. Embeleze a vida ao seu redor. Deixe que cada pessoa sinta que o encontro com você é uma dádiva: apenas por estar com você algo começa a fluir, a crescer, algumas canções começam a surgir no coração, algumas flores começam a se abrir. E quando você estiver sozinho, então sente-se totalmente em silêncio, absolutamente em silêncio, e observe a si mesmo. Assim como o pássaro tem duas asas, deixe amor e meditação serem suas duas asas. Crie uma sincronicidade entre eles, assim eles não estarão de maneira alguma em conflito um com o outro, mas cuidando um do outro, alimentando um ao outro, auxiliando um ao outro. Esse vai ser o seu caminho: a síntese entre amor e meditação. "

Osho

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Afinal, a melhor maneira de viajar é sentir

Afinal, a melhor maneira de viajar é sentir.
Sentir tudo de todas as maneiras.
Sentir tudo excessivamente,
Porque todas as coisas são, em verdade, excessivas
E toda a realidade é um excesso, uma violência,
Uma alucinação extraordinariamente nítida
Que vivemos todos em comum com a fúria das almas,
O centro para onde tendem os estranhas forças centrífugas
Que são as psiques humanas no seu acordo de sentidos.

Quanto mais eu sinta, quando mais eu sinta como várias pessoas,
Quanto mais personalidade eu tiver,
Quanto mais intensamente, estridentemente as tiver,
Quanto mais simultaneamente sentir com todas elas,
Quanto mais unificadamente diverso, dispersamente atento,
Estiver, sentir, viver, for,
Mais possuirei a existência total do universo,
Mais completo serei pelo espaço inteiro fora.
Mais análogo serei a Deus, seja ele quem for,
Porque, seja ele quem for, com certeza que é Tudo,
E fora d'Ele há só Ele, e Tudo para Ele é pouco.

Cada alma é uma escada para Deus,
Cada alma é um corredor-Universo para Deus,
Cada alma é um rio correndo por margens de Externo
Para Deus e em Deus com um sussurro soturno.

Sursum&corda! Erguei as almas! Toda a Matéria é Espírito,

Porque Matéria e Espírito são apenas nomes confusos
Dados à grande sombra que ensopa o Exterior em sonho
E funde em Noite e Mistério o Universo Excessivo!
Sursum corda! Na noite acordo, o silêncio é grande,
As coisas, de braços cruzados sobre o peito, reparam

Com uma tristeza nobre para os meus olhos abertos
Que as vê como vagos vultos nocturnos na noite negra.
Sursum corda! Acordo na noite e sinto-me diverso.
Todo o Mundo com a sua forma visível do costume
Jaz no fundo dum poço e faz um ruído confuso,

Escuto-o, e no meu coração um grande pasmo soluça.

Sursum corda! Ó Terra, jardim suspenso, berço
Que embala a Alma dispersa da humanidade sucessiva!
Mãe verde e florida todos os anos recente,
Todos os anos vernal, estival, outonal, hiemal,
Todos os anos celebrando às mancheias as festas de Adónis

Num rito anterior a todas as significações,
Num grande culto em tumulto pelas montanhas e os vales!
Grande coração pulsando no peito nu dos vulcões,
Grande voz acordando em cataratas e mares,
Grande bacante ébria do Movimento e da Mudança,
Em cio de vegetação e florescência rompendo
Teu próprio corpo de terra e rochas, teu corpo submisso
À tua própria vontade transtornadora e eterna!
Mãe carinhosa e unânime dos ventos, dos mares, dos prados,
Vertiginosa mãe dos vendavais e ciclones.
Mãe caprichosa que faz vegetar e secar,
Que perturba as próprias estações e confunde
Num beijo imaterial os sóis e as chuvas e os ventos!

Sursum corda! Reparo para ti e todo eu sou um hino!
Tudo em mim como um satélite da tua dinâmica íntima
Volteia serpenteando, ficando como um anel
Nevoento, de sensações reminescidas e vagas,
Em torno ao teu vulto interno, túrgido e fervoroso.

Ocupa de todo a tua força e de todo o teu poder quente
Meu coração a ti aberto!
Como uma espada traspassando meu ser erguido e extático,
Intersecciona com meu sangue, com a minha pele e os meus nervos,
Teu movimento contínuo, contíguo a ti própria sempre.

Sou um monte confuso de forças cheias de infinito
Tendendo em todos as direcções para todos os lados do espaço,
A Vida, essa coisa enorme, é que prende tudo e tudo une
E faz com que todas as forças que raivam dentro de mim
Não passem de mim, não quebrem meu ser, não partam meu corpo,
Não me arremessem, como uma bomba de Espírito que estoira
Em sangue e carne e alma espiritualizados para entre as estrelas,
Para além dos sóis de outros sistemas e dos astros remotos.

Tudo o que há dentro de mim tende a voltar a ser tudo.
Tudo que há dentro de mim tende a despejar-me no chão,
No vasto chão supremo que não está em cima nem em baixo
Mas sob as estrelas e os sóis, sob as almas e os corpos
Por uma oblíqua posse dos nossos sentidos intelectuais.

Sou uma chama ascendendo, mas ascendo para baixo e para cima,
Ascendo para todos os lados ao mesmo tempo, sou um globo
De chamas explosivas buscando Deus e queimando
A crosta dos meus sentidos, o muro da minha lógica,
A minha inteligência limitadora e gelada.

Sou uma grande máquina movida por grandes correias
De que só vejo a parte que pega nos meus tambores.
O resto vai para além dos astros, passa para além dos sóis,
E nunca parece chegar ao tambor donde parte...

Meu corpo é um centro dum volante estupendo e infinito
Em marcha sempre vertiginosa em torno de si,
Cruzando-se em todas as direcções com outros volantes,
Que se entrepenetram e misturam, porque isto não é no espaço
Mas não sei onde espacial de uma outra maneira-Deus.

Dentro de mim estão presos e atados ao chão
Todos os movimentos que compõem o universo,
A fúria minuciosa e dos átomos,
A fúria de todas as chamas, a raiva de todos os ventos,
A espuma furiosa de todos os rios, que se precipitam.

A chuva como pedras atiradas de catapultas
De enormes exércitos de anões escondidos no céu.

Sou um formidável dinamismo obrigado ao equilíbrio
De estar dentro do meu corpo, de não transbordar da minh'alma.
Ruge, estoira, vence, quebra, estrondeia, sacode,
Freme, treme, espuma, venta, viola, explode,
Perde-te, transcende-te, circunda-te, vive-te, rompe e foge,
Sê com todo o meu corpo todo o universo e a vida,
Arde com todo o meu ser todos os lumes e luzes,
Risca com toda a minha alma todos os relâmpagos e fogos,
Sobrevive-me em minha vida em todas as direcções!

Alvaro de Campos (Fernando Pessoa)

sexta-feira, 11 de março de 2011

O QUE ESTAMOS FAZENDO

> Trechos do Prólogo do livro "A condição humana" de Hannah Arendt <


..."A humanidade não permanecerá para sempre presa à Terra" foi a frase gravada à mais de 20 anos no "Obelisco Fúnebre" de um dos grandes cientistas da Rússia. Há já algum tempo tais impressões te se tornado lugar-comum. Elas mostram que,em toda parte os homens não tardama acompanhar as descobertas da ciência e o desenvolvimento da técnica, e ajustar-se à eles, mas, ao contrário, estão décadas a sua frente... ...A Terra é a própria quintessência da condição humana, e anatureza terrestre, ao que sabemos, pode er a única no universo capaz de proporcionar aos seres humanos um habitat no qual eles podem mover-se e respirar sem esforço nem artificio. O artifício humano do mundo separa a existencia humana de todo ambiente meramente animal, mas a vida mesma permanece fora desse mundo artificial, e por meio da vida o homem permanece ligado a todos os organismos vivos.

Desde já algum tempo um grande número de investigações cietíficas tem buscado tornar "artificial" também a vida e cortar o último laço a manter até o homem entre os filhos da natureza...

...Esse homem futuro ("artificial"/proveta/clone...), que os cientistas nos dizem que produzirão em menos de um século, parece imbuido por uma rebelião contra a existência humana tal como ela tem sido dada - um dom gratuito vind de lugar nenhum (secularmente falando) que ele deseja trocar, por assim dizer, por algo produzido por ele mesmo. Não há razão para duvidar de que sejamos capaz de realizar tal troca, assim como não há motivo para duvidar da nossa atual capacidade de destruir toda vida orgânica na Terra...

...A questão é apenas se desejamos usar nessa direção nosso novo conhecimento científico e técnico, e essa questão não pode ser deidida por meios científicos; é uma questão poítica de primeira grandeza, cuja decisão, portanto, não pode ser deixada a cientistas profissionais ou a políticos profissionais.

Embora tais possibilidades possam pertencer ainda a um futuo remoto, os primeiros efeitos bumerangue dos grandes triunfos da ciência já se fizeram sentir em uma crise nas próprias ciências naturais. O problema tem haver com o fato de que as "verdades" da moderna visão científica do mundo, embora possam ser demonstradas e fórmulas matemáticas e comprovadas tecnologicamente, já não se prestam à expressão normal no dircurso e no pensamento. Quando se fala conceitual e coerentemente dessas "verdades", as sentenças resultantes são "talvez não tão sem sentido quanto um 'círculo triangular', mas muito mais que um 'leão alado'" (Erwin Schrödinger). Ainda não sabemos se essa situação é definitiva; mas pode suceder que nós, que somos criaturas ligadas à Terra e nos pusemos a agir como se fôssemos habiantes do universo, jamais sejamos capazes de compreender, isto é, de pensar e de falar das coisas que, no entanto, somos capazes de fazer...
...Sempre que a relevância do discurso está em jogo, as questões tornam-se poliíticas por definição, pois é o discurso que faz do homem um ser político...
...E tudo o que os homens fazem, sabem ou experimentam só tem sentido na medida em que se possa falar sobre. Pode haver verdades para além do discurso e que podem ser de grande relevância para o homem no singular, isto é, para o homem na medida em que, seja o que for, não é um ser político. Os homens no plural, isto é, os homens na medida em que vivem, se movem e agem neste mundo, só podem experimentar a significação porque podem falar uns com os outros e se fazer entener aos outros e a si mesmos...
...A era moderna trouxe consigo um glorificação teórica do trabalho, e resultou na transformação factual de toda a sociedade em uma sociedae trabalhadora. Assim a realização do desejo, como sucede nos contos de fadas, chega em um momento em que só pode ser contraproducente. É uma sociedade de trabalhadores a que está para ser liberada dos grilhões do trabalho (pelo advento da automoção), uma sociedade que já não conhece aquelas outras atividades superiores e mais significativas em vista das quais essa liberdade mereceria ser conquistada. Dentro dessa sociedade que é igaitária porque esse é o modo como o trabalho faz os homens viverem juntos, já não restam classes nem aristocracia de natureza política ou espiritual a partir da qual pudesse ser iniciada novamente a restauração das outras capacidades do homem. Até presidentes, reis e primeiros-ministros concebem seus cargos como emprego necessário à vida da sociedade, e, entre os intelectuais, restam somente indivúduos solitários que consideram o que fazem como uma obra, e não como um meio de ganhar o próprio sustento. O que se nos depara, portanto, é a perspectiva de uma sociedade de trabalhadores sem trabalho, isto é, sem a única atividade que lhes resta. Certamente nada poderia ser pior...
...o propósito final da análise histórica é o de rastrear até sua origem a moderna alienação do mundo, em sua dupla fuga da Terra para o universo e do mundo para si mesmo [self], a fim de chegar a uma compreensão da natureza da sociedade, como esta se desenvolvera e se apresentava no instante em que foi suplantada pelo advento de uma era nova e ainda desconhecida.

quinta-feira, 10 de março de 2011

?!

O amor vem em lágrimas...
Uma intensidade como um nó no estômago e aperto no coração que bate desorientado, forte, acelerado.
O amor brota do fundo. Nasce da alma, do corpo e também da imensidão oculta de mim mesma;
Nasce como a flor de lotus: das águas densas das profundezas.
Nectar das emoções. Ah! O que seríamos sem você?
Ah! Como seriamos sem a nossa razão quando fisgados pelo coração?!
Uma alegria tão pura que irradia em cores.
Um doer das bochechas e delírio que tonteia.
Amor sem temor que arrepia de tesão, que transpira de paixão.
Essa coisa que acontece, que não tem explicação...

sábado, 26 de fevereiro de 2011

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Intento

Acho que a maior virtude é a consciência de que tudo isso é uma única coisa!
Sinto que vivo melhor aceitando as diferenças, pois assim reajo de maneira mais serena, tolerante e pacífica...
Se "para se magoar basta estar vivo", acredito que a busca deve ser interna! Digo interno, porque "dentro" é onde podemos nos conectar melhor com o intento...com a razão de cada percepção.
Aceitando que somos uma coisa só, percebemos que o grau, nível, ou sei lá como posso expressar isso em palavras, de dificuldade e as chances de frustração podem melhorar com e somente nossa consciência de que nada é tão importante que justifique o sofrimento. Nada importa, pois o certo e o errado, o bem e o mal, são conceitos do homem...são desculpas, justificativas, espectativas, desejos...cada e toda coisa, sentimento e ato, casa instante tem o seu "valor". Isto porque tudo está em constante e eterno movimento que flui por atravéz de tudo isso...e como uma pedra que desvia o fluxo da água, ou um declive que a põe em queda, são também parte do que chamamos de rio!

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Mãe

A minha mãe me deu
um hino pra cantar
foi ela quem escreveu
usando notas divinais
me ensinou a ouvir
a ler pronunciar
são tão lindas palavras
da deusa do amar

A minha mãe me deu
um hino pra lembrar
formado de letrinhas
la no céu azul do amar
Um manto ela teceu
com suas mãos de amor
para nos embalar
quando preciso for

Recebe este acalanto
num berço bem florido
e minha mãe que canta
para seu filho querido
em cada estrelinha
um beijo que ela deu
para enfeitar o céu
de meu mestre Irineu

Será?

Será mesmo saudade ou nostalgia?
Vida que segue, momentos que renovam, pessoas que cativam, tempo que não pára!
Entretanto existe aqui dentro uma coisa viva em movimentos cólicos que fazem de neurônios tripa...
Como não questionar quando sinto dentro do peito um profundo desejo de reviver um dos mais intensos sentimentos?
Quero sonhar com você e perguntar o que é que se passa por ai...

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Faça valer!

Tudo vale a pena quando as escolhas são conscientes...quando se é responsável por elas.
O que pode não valer a pena quando só o que podemos levar desta vida são as experiências que vivenciamos nela?
Valerá sempre a pena se escolhermos com o coração.
Ser livre para ser nossa essência, porém a liberdade não cai do céu...ironia? Ela se conquista. Conquista do real amor. Com a real vontade...
Tudo vale a pena quando houver humildade em querer aprender com as coisas que acontecem conosco, com as pessoas que passam por nós, com a natureza que só faz ensinar...somos eternos aprendizes.
Tudo vale a pena porque não podemos olhar para trás. Não é possível voltar o tempo...tempo este que só existe para o AGORA.
Então só vale olhar para frente. Para não tropeçar novamente!
O que pode ser tão válido quando nossos próprios erros? Nossos próprios sentimentos, pensamentos e sensações?
Com a real atenção...
Observar!
Desapegar.
AMAR!!!
Tudo vale a pena quando começa com A e termina com AR!
E também sonhar...
Vale a pena não se preocupar. E sim fluir...não julgar.
Vale aceitar.
Vale não fugir. Fingir. Franzir.
OLHAR!!!
Tudo vale a pena quando olhamos para dentro.
Não vale reagir...
O que vale é enfrentar o medo...
Tudo vale a pena!
Afinal, é preciso FAZER valer.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Zeitgeist

(link no título)

A palavra Zeitgeist é alemã, e significa "espírito de uma época".
E qual é a época em que vivemos?
Existiria de fato um sistema orquestrado de manipulação de massas, apoiado no tripé religião, sistema educacional e mídia?
A visão que temos da realidade é filtrada pelas lentes da nossa percepção, e ela é moldada pelas nossas diversas crenças, modos de pensar, de generalizar, de omitir e distorcer, e também pelas limitações impostas pela nossa própria história pessoal. Isso forma o mapa que usamos para nos guiar pelo mundo.
Como filtrar o turbilhão de informações que chegam até nós, sem se deixar levar pela opinião da massa, pelo que diz a mídia, ou por crenças limitadoras? Onde está a verdade?
O mapa do mundo não é o mundo.
Quanto melhor for a nossa percepção dos fatos - ou o nível de detalhe do nosso mapa - melhor a nossa capacidade de interagir com este mundo.

(Texto retirado da Descrição do grupo Zeitgeistbrasil)

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Modelando


Aprendendo a ser fotografada! =)